Categorias
Governo ES

Governo do ES coloca prédio à venda no Centro de Vitória

Além de um edifício de dez andares, outros imóveis serão negociados e podem ser transformados em comércio e moradia

Lenise Loureiro, secretária de Estado de Gestão e Recursos Humanos, em frente ao Edifício Valia, colocado à venda (Foto: Thiago Coutinho/AT)

Prédios do governo do Estado no centro de Vitória serão vendidos e podem se transformar em comércio, moradia e até órgãos públicos. O primeiro colocado à venda foi o Edifício Valia, que possui 10 andares e está desocupado. O valor inicial para lances é de R$ 930 mil, de acordo com o edital.

Localizado na rua Duque de Caxias, o prédio já foi utilizado pela Secretaria da Justiça e pela Polícia Civil, que desocupou as últimas salas usadas para guardar arquivos há cerca de três meses.

O objetivo do governo é dar uma destinação mais rápida ao imóvel, segundo a secretária de Estado de Gestão e Recursos Humanos, Lenise Loureiro. “É importante usar a celeridade da iniciativa privada, pois ela realiza projetos mais rápidos. O serviço público tem uma lentidão maior para o processo de contratação de obra”, ressaltou a secretária.

Ao todo, o governo está autorizado por lei a vender 27 bens, entre imóveis, terrenos e salas comerciais. Somente no centro da capital são dois prédios, dois terrenos e 27 salas.

“São imóveis de difícil recuperação rápida pelo governo. Identificamos que são bens interessantes para venda e que podem dinamizar a economia”, pontuou Lenise.

Vence o primeiro edital quem apresentar a melhor proposta, que será divulgada no dia 25 de novembro. Caso não haja interessado, o governo vai abrir um edital específico para garantir ao novo proprietário um contrato de aluguel. Neste caso, o imóvel seria reformado pelo comprador e alugado para receber órgãos públicos do governo do Estado por cinco anos.

Hoje, diversas secretarias funcionam em espaços alugados, muitas em áreas nobres da região metropolitana, como a Praia da Costa, em Vila Velha.

Revitalização

A opção em alugar um imóvel no Centro teria como benefício economizar e revitalizar a região, criando uma “Cidade Administrativa”.

Neste mesmo contexto, uma secretaria já está prestes a mudar de endereço. Será a Secretaria de Estado de Saneamento, Habitação e Desenvolvimento Urbano (Sedurb), que atualmente fica em um centro empresarial na Praia da Costa.

A partir de janeiro de 2020, o órgão com 96 servidores passa a funcionar oficialmente em dois andares do Edifício Ames, localizado na rua Alberto de Oliveira Santos.

Centro cultural no Majestic

Hotel Majestic, na Cidade Alta (Foto: Leone Iglesias / AT – 29/03/2019)

Abandonado há anos, o prédio do antigo Hotel Majestic, na Cidade Alta, vai receber um centro cultural com oferta de aulas de música e dança.

As atividades serão oferecidas pela Associação Judaica Alef Bet, que foi habilitada pelo governo do Estado para assumir uma concessão pública. O contrato será assinado nos próximos dias, segundo a secretária de Estado de Gestão e Recursos Humanos, Lenise Loureiro.

O centro cultural vai contar com biblioteca, sala de vídeo, estúdio de música e auditórios para apresentações artísticas. Por lá, serão oferecidas aulas de música, balé e oficinas profissionalizantes. “Pretendemos realizar as atividades culturais que a associação já realiza, mas que não têm espaço físico”, explicou a gerente de projetos da associação, Vanessa de Abreu.

O Alef Bet busca parcerias com empresas para viabilizar o projeto e ainda não há prazos para o início das obras.

Sem receber nenhum tipo de atividade, o prédio chegou a ser ocupado por 15 famílias sem moradia em junho do ano passado. Na época, a Justiça determinou a desocupação, que acabou acontecendo de forma voluntária pelas famílias, sem necessidade de ação policial.

Fonte: Tribuna online

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *